Conclusão do retiro espiritual dos seminaristas – Quarta-feira de cinzas

Formações – Projeto Pessoal de Vida e Semana Santa
05/03/2019
Santa Missa em honra a São José, no Seminário Diocesano, em Belo Horizonte
19/03/2019

Hoje, dia 5 de março, concluímos o retiro com a santa missa, celebrando a solenidade da quarta-feira de cinzas que foi presidida pelo reitor do seminário, padre Francisco Guerra. Foi uma oportunidade de confirmarmos todas as experiências que tivemos durante esse período de oração e também de prepararmos os nossos corações para aplicarmos em nossas vidas essa experiência.  

A leituras da liturgia de hoje (Jl 2,12-18; Sl 50; 2 Cor 5,20-6,2; Mt 6,1-6.16-18) enfatizavam a proposta quaresmal que inclui a conversão dos corações e a prática de penitências. Esta proposta foi enfatizada durante a homilia, oportunidade em que fomos convidados a realizarmos propósitos espirituais que são ricos alimentos para a fé, durante este tempo tão favorável à oração, penitência e caridade. 

Também foi salientada, durante a homilia, a importância de se pensar “no outro”: é importante o exercício da abstinência (não apenas de alimentos, mas também de outros bens que igualmente nos fazem falta), assim como é importante também o exercício da caridade. Dessa forma, a doação de subsídios às pessoas que necessitam e em especial a doação dos bens que renunciamos pela penitência, dá um sentido mais profundo à penitência, conforme apontado pelo padre Francisco. 

Nesse sentido, durante a homilia, foi apontada também a importância da campanha da fraternidade de 2019 que tem como tema “fraternidade e políticas públicas” e como lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27).   

A liturgia de hoje foi ao encontro do que foi proposto nesses dias de recolhimento pois padre Elizeu Donizete de Paiva Gomes, pregador do retiro vocacional, partindo dos exercícios espirituais de Santo Inácio de Loyola, frisou que a conversão dos pecados – à qual somos convidados após a experiência do querigma – é um ponto de partida para darmos nossa resposta ao amor de Deus por meio: da oração, da missionariedade, da empatia, do ensino da doutrina cristã, etc. 

Igualmente, a missa de hoje foi uma motivação para que o retiro seja um ponto de partida em nossas vidas para respondermos ao amor de Deus com nossos gestos, a começar da quaresma. Concluímos então esse período de oração, com a motivação de vivenciarmos nosso processo vocacional a partir das luzes que o Espírito Santo nos inspirou pela intercessão de Nossa Senhora em nossas vidas. 

 

Wellington das Graças

1° ano de Filosofia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − três =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.