Seminário São José fortalece o Conselho Missionário de Seminaristas

Formação Missionária para Seminaristas da Província Eclesiástica de Mariana
25/03/2019
Visita dos seminaristas à creche
10/04/2019

Após voltarem da Formação Missionária de Seminaristas da Província Eclesiástica de Mariana, os seminaristas do seminário diocesano São José, com sede em Belo Horizonte, reativaram o COMISE - Conselho Missionário de Seminaristas, dando mais um passo na ação missionária do seminário.

A comissão foi composta pelo:

Coordenador: Helvert (3º ano de filosofia)

Vice - coordenador: Willian (2º ano de teologia)

Secretário: Júlio (1º ano de teologia)

Tesoureiro: Lucas Araújo (1º ano de teologia)

Assessor de comunicação: Arthur (1º ano de filosofia)

Posteriormente, um seminarista do propedêutico será escolhido para representar a comunidade naquilo que se refere ao COMISE, estando em união nas atividades a serem desempenhadas e ajudando a refletir as propostas missionárias que serão desenvolvidas pelos seminaristas, tais como: momentos de orações e vigílias, formação e missões desenvolvidas pelo seminário.

CONSELHO MISSIONÁRIO DE SEMINARISTAS

Para colaborar com a tarefa de formação e animação missionária nos seminários e casas de formação religiosa, a Pontifícia União Missionária serve-se do Conselho Missionário de Seminaristas (Comise). Este conselho surgiu há mais de 30 anos no seminário Interdiocesano Sagrado Coração de Jesus de Teresina (PI). Nos últimos anos, o Comise se expandiu pelas dioceses e regionais do Brasil graças à realização de formações, congressos e experiências missionárias de seminaristas.

OBJETIVO

Proporcionar aos futuros presbíteros e candidatos à Vida Religiosa Consagrada uma sólida espiritualidade e formação missionária capaz de enfrentar os desafios da missão: na pastoral, nova evangelização e na missão ad gentes e além-fronteiras.

FUNDAMENTOS

A existência do Comise se fundamenta em documentos da Igreja: 1. Ela é missionária por sua própria natureza e seus ministros devem ser formados “com espírito verdadeiramente católico”, para que “se habituem a transcender a própria diocese, nação ou rito, e ajudar as necessidades de toda a Igreja, dispostos a pregar o Evangelho em toda a parte. (Concílio Vaticano II, Optatam Totius, 20)

2. “O dom espiritual, recebido pelos presbíteros na Ordenação, não os prepara para uma missão limitada e determinada, mas sim para uma missão imensa e universal de salvação ‘até os confins da terra’ (At 1,8). Com efeito, todo ministério sacerdotal participa da amplitude universal da missão confiada por Cristo aos Apóstolos”. (Presbyterorum Ordinis, 10)

3. A educação dos futuros sacerdotes no espírito missionário deve ser tal que o sacerdote se sinta e atue, ali onde se encontra, como um pároco do mundo, ao serviço de toda a Igreja missionária. Ele é o animador nato e o primeiro responsável pelo despertar da consciência missionária dos fiéis. (João Paulo II, Mensagem para o Dia Mundial das Missões de 1990)

4. A Conferência de Aparecida (2007) fez um apelo à conversão pastoral e renovação missionária da Igreja. E o Papa Francisco propõe colocar todas as atividades de evangelização em chave missionária para formar uma Igreja em saída (cf. EG 20). Os seminaristas, presbíteros, diáconos, bispos e religiosos são lideranças fundamentais nessa tarefa.

5. Os bispos do Brasil destacam a formação pastoral-missionária como “princípio unificador de todo o processo formativo” (cf. Doc.93 CNBB, n.300). É preciso garantir uma formação missionária aos candidatos ao ministério ordenado, de modo que “não exista um só clérigo que não arda este sagrado fogo de caridade pelo apostolado missionário”. (Pio XI, Rerum Ecclesiae, 9) (cf. Doc. 108 CNBB, n. 34).

Saiba mais acessando: http://www.pom.org.br/wp-content/uploads/2018/08/folder-comise.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − 1 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.