Padre Francisco: uma vida marcada pela doação a Deus e ao povo de Deus.

DIOCESE DE ITABIRA – CEL. FABRICIANO: 55 ANOS DE PROTAGONISMO SOLIDÁRIO
16/06/2020
Ordenação Diaconal de Gustavo Alves e Márcio Mota
27/07/2020

“Repousa sobre mim o Espírito do Senhor; ele me ungiu para levar a boa nova aos pobres e para curar os corações contritos.”(Cf. Antífona. Missal Romano: nas missas das ordenações).

 

     Sob o olhar misericordioso da Mãe de Deus, no dia 16 de julho de 1995, o milagre originado pela força do Sacramento da Ordem manifestou-se. Pela imposição das mãos de Dom Léris Lara, de venerável memória, o Diácono Francisco Neto Guerra foi fecundado – na benevolência do Pai Eterno, pelo sacerdócio do Filho Amado e na unção do Espírito Santo – com o dom do sacerdócio.

     Podemos notar que a graça sacerdotal circunda, desde sempre, a vida de  pe. Francisco. Sua cidade natal, Abre Campo foi abençoada, pelos idos do século XVIII, pela presença do bispo Dom Frei João da Cruz. Mas, isso não é tudo. A arquidiocese de Mariana, a primaz de Minas Gerais, foi a sua primeira casa formativa. E, como que embalado pelas mãos de Maria Santíssima; padre Francisco ascendeu, gradativamente, ao Coração de Cristo. Neste sentido, ele foi duplamente agraciado por Deus: através do bispo, que viveu nos primórdios de sua pequena cidade, a benção sacerdotal; através da arquidiocese que é mariana até no nome, a proteção da Virgem.

     Mas, a graça de Deus, na vida desse jovem vocacionado, tornou-se ainda mais visível pela presença de Dom Luciano Mendes de Almeida. Este servo de Deus irrigou a semente missionária no coração de padre Francisco. Assim sendo, torna-se clara a sua opção de deixar sua diocese “mãe”, para acolher outra diocese igualmente “mãe”: a jovem igreja particular de Itabira-Coronel Fabriciano.

     Neste solo diocesano, qual vela que se consome, padre Francisco se doou, se desgastou, se alegrou, se entristeceu e louvou ao Senhor. A diferença é que toda a sua experiência de vida foi elevada ao altar do Senhor. A Sagrada Eucaristia foi, e continua a ser, seu alimento, sustento e salvação.

     Por isso, ao completar, no dia de hoje; seus vinte e cinco anos de vida sacerdotal, pe. Francisco tem muitos motivos para louvar e se alegrar em Deus. E, a nossa igreja diocesana, se alegra com ele. Hoje rejubilam os três regionais de nossa diocese; rejubilam todas as comunidades eclesiais, rejubilam o coração vivo do seminário –

 expresso em cada vocação confiada aos cuidados do padre Francisco – e  o coração do clero. Unem-se à nossa alegria o Coração Imaculado da Virgem Maria, os anjos e santos de Deus, que habitando a Igreja Triunfante no céu, intercedem por nós.

     Receba, padre Francisco, nosso olhar de gratidão, nossas mãos em ogivas indicando nossa profunda oração pela a sua vida; nosso coração  pulsante e ardente de louvor a Deus. Por fim, acolha a prece da Igreja, que hoje, de maneira particular, fala ao seu coração: “Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo poderoso, [...] escolhendo os dispensadores dos mistérios divinos, reveste-os com variedade de dons e carismas para que, sempre e em toda parte, ofereçam o sacrifício perfeito, e edifiquem, com a palavra e os sacramentos, a Igreja peregrina e santa, comunidade da Nova Aliança e templo vivo do nosso louvor.” (cf. Prefácio do Sacramento da Ordem).

Seminarista Francis Regis - 4° ano de Teologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.