Noite de integração entre os Grupos de Vida
01/05/2017
Pastoral em Antonio Dias
08/05/2017

O ultimo final de semana de Abril (28, 29 e 30) juntamente com o feriado do dia do Trabalhador foi marcado com uma intensa formação em nosso seminário São José. Um momento muito rico em toda comunidade formativa foi criado, propiciando momentos de aprendizado, escuta e partilha entre os formandos e o formador, realizando assim o que nos diz o nosso documento de formação de nosso Seminário Diocesano.

“Cabe a equipe de formação composta pelo reitor, pelos formadores de cada casa, e pelos assessores das respectivas dimensões formativas: atuar de forma integrada, fazendo ressaltar a diversidade e complementaridade dos dons e tarefas de cada um de seus membros num espírito de comunhão fraterna.”

Cada dia de formação trouxe um tema em especial sobre a vivência comunitária e aspectos da vida religiosa em nossa Igreja.

Na Sexta – feira (28/04) o assunto a ser refletido por nossa comunidade foi em relação a nossa casa de formação, o nosso seminário, como realmente espaço físico que precisa nos levar a refletir e a sentir os sinais de Deus em cada canto.

“A casa de formação, como comunidade organizada pelo projeto formativo e aberta à participação e transparência relacional, propicia aos formandos viver os valores vocacionais. É o lugar das virtudes, onde a mística e a ascese, entrelaçadas, exercem o seu papel” (Doc. 93, CNBB)

O assunto tratado no Sábado (29/04) traz consigo a preocupação da Igreja, trata-se da Síndrome de Burnout, que tem afetado grande parte dos padres e dos membros da Igreja de maneira geral, sendo gerada por um alto nível de estresse e falta de sentido.

“Em seu processo de amadurecimento, as pessoas precisam adquirir, durante o ciclo da vida, uma compreensão positiva de si mesmas, bem como uma relação satisfatória com aqueles que as rodeiam, fator que lhes permitirá experimentar um bom sentido de pertença e fraternidade, tudo isso complementado por sólido sentido de missão. Assim vemos como a relação intra e interpessoal e o sentido de vida constituem elementos muito importantes para o êxito de um bom equilíbro e uma vivência de plenitude nos diversos ambientes em que se desenvolvem os indivíduos.”

O tema de nosso domingo (30/04) e da Segunda – Feira (01/05) girou entorno da escuta de Deus, do outro na vivência comunitária e a escuta de si acompanhados da equipe de formação para crescimento pessoal e resposta ao chamado de Deus em busca do discernimento vocacional.

“A incessante busca da vontade do Pai é clara na vida de Jesus. Antes de iniciar sua vida pública, ele se retirou ao deserto, onde permaneceu quarenta dias em jejum e oração. Nesse retiro, o Senhor pôde ter clareza das áreas de sua via nas quais seria, e na realidade foi, tentado pelo maligno, respondendo sempre com a Palavra de Deus cada tentação. Da mesma forma, nós, seguidores de Jesus, somos tentados ao longo de nossa existência. Todavia, o autoconhecimento que se adquire nesses momentos de reflexão, oração e jejum, complementado com um profundo conhecimento da Palavra de Deus, é nossa melhor defesa para superar esses tempos de prova e tantação.”

Todos esses momentos de aprendizado, escuta e partilha foram intercalados com momentos profundos de oração e vivência comunitária por todos. Nós que caminhamos num mesmo sentido, de discernir melhor a nossa vocação, fazendo a vontade do Pai, possamos servir o povo de Deus e a Igreja da melhor forma.

FONTE: Seminarista Marcos Motta

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.