Diocese Itabira-Cel. Fabriciano: 52 anos de história, caminhada e fé

Aniversário de Sagração Episcopal de Dom Marco Aurélio
30/05/2017
Lançamento do Brasão da Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano em seus 52 anos de Evangelização
16/06/2017

Dia 14 de junho de 2017, comemora-se os 52 anos de criação da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano. Ela foi criada no ano de 1965 pela Bula Haud Inani, no pontificado de Paulo VI. O seu primeiro bispo foi Marcos Antônio de Noronha, sendo empossado na Matriz de Nossa Senhora do Rosário, em Itabira-MG, no dia 29 de dezembro do corrente ano. O território jurisdicional da nova diocese, 28 municípios no total, foi desmembrado das Arquidiocese de Mariana e de Diamantina, sendo que vinte e dois pertenciam a Mariana e seis a Diamantina.

As cidades que foram desmembradas de Mariana foram as seguintes: Alvinópolis, Antônio Dias, Bela Vista de Minas, Belo Oriente, Bom Jesus do Amparo, Coronel Fabriciano, Dionísio, Ferros, Itabira, Ipatinga, Jaguaraçu, Joanésia, João Monlevade, Marliéria, Mesquita, Nova Era, Rio Piracicaba, Santa Maria de Itabira, São Domingos do Prata, São Gonçalo do Rio Abaixo, São José do Goiabal e Timóteo. As cidades desmembradas de Diamantina foram: Braúnas, Itambé do Mato Dentro, Morro do Pilar, Passabém, Santo Antônio do Rio Abaixo e São Sebastião do Rio Preto. Com a posterior criação da diocese de Guanhães, os municípios de Joanésia, Ferros, Braúnas e Morro do Pilar passaram a pertencer a sua jurisdição, sendo assim, desmembradas da diocese de Itabira.

A escolha para nova sede da diocese girava em torno de três municípios, sendo eles o de Itabira, Coronel Fabriciano e Nova Era. Todavia, optou-se, conforme carta do dia 28 de abril de 1965, pelo município de Itabira, devido a sua tradição católica e estabilidade financeira advinda da estatal Vale do Rio Doce.

Três cidades estavam em luta […]: Itabira, Coronel Fabriciano e Nova Era, mas a escolha recaiu sobre a primeira, pela sua importância histórica, sendo no plano econômico igual às outras duas. Itabira é uma cidade tradicionalmente católica, com uma população mais estável, e prevalecentemente de operários, técnicos e funcionários da Companhia Vale do Rio Doce, que tem na cidade. Conta com 16.571 habitantes no centro e 37.387 no município. Está subdividida em três paróquias; há dois hospitais, dois ginásios, duas escolas normais, um colégio comercial, quatro grupos escolares, cinco bibliotecas, uma livraria e uma tipografia (p.7).

Posteriormente, no ano de 1979, precisamente há 14 anos após a ereção da sede episcopal, a cidade de Coronel Fabriciano tornou-se co-sede de Itabira a pedido do segundo bispo diocesano, Dom Mário Teixeira Gurgel, religioso da congregação dos padres salvatorianos. A partir dessa data a diocese passou a ter uma sede e uma co-sede, sendo então denominada Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano. A nova co-catedral foi sagrada no dia 4 de julho de 1993, tendo como patrono o Mártir São Sebastião, sendo entregue aos cuidados dos padres redentoristas.

No ano de 2015, Dom Marco Aurélio, quinto bispo diocesano, presidiu os 50 anos de ereção canônica da diocese. A celebração contou com a presença de Dom Lélis Lara e Dom Odilon Guimarães Moreira, bispos eméritos da diocese; além da ilustre presença do Cardeal Dom Serafim. O Cardeal, que participou do ato da instalação canônica da diocese, foi sinal de que nossa diocese segue sua história. Tal história vai se construindo com a participação de muitos, não podendo todos acompanharem os novos rumos e outros, como nós, somando forças a partir de nosso momento histórico, sendo grato a toda caminhada já trilhada. Todavia, os rumos são sob inspiração do Espírito Santo. Ele é quem nos conduz. Por isso, neste dia de celebração elevemos nossas preces para que essa igreja particular, sob proteção de Nossa Senhora Aparecida, continue a caminho do Reino definitivo do Pai.

 

Júlio César Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.