Início do Ano Formativo do Seminário São José
23/01/2018
Início das atividades acadêmicas 2018
01/02/2018

O objetivo desta semana intensiva de formação e integração é proporcionar aos formandos e aos formadores do Seminário Diocesano São José, da Diocese de Itabira – Cel. Fabriciano, um encontro fraterno para preparação de cada início de ano formativo. Este período é também oportunidade para formandos e formadores se confraternizar, divertir-se e interagir em um ambiente que proporcione também descanso do corpo e da mente com momentos lúdicos e de espiritualidade. Para tal é feita uma programação especial que possibilite todos esses momentos e se alcance o objetivo desejado. A ferramenta de trabalho são sempre os conteúdos das cinco dimensões formativas e os encaminhamentos para cada uma delas do ponto de vista de datas, conteúdo e aplicação prática em cada uma das duas comunidades formativas. A pedagogia e a metodologia são marcadas com momentos alternativos de estudos, propostas e encaminhamentos através do grupo com todos os formandos e ou grupos de vida ou ainda por estágio formativo. A seguir pode-se conferir um pouco da experiência de 2018 no dizer de alguns formandos.

Dimensão comunitária

Na semana de integração, nós seminaristas nos reunimos para partilhar nossas vidas e experiências em comunidade, onde desenvolvemos os momentos de lazer, dinâmicas e testemunhos tanto quanto momentos de espiritualidade e formação. Isso que vivenciamos chamamos de dimensão comunitária, muito importante na formação dos presbíteros. A vivência em comunidade nos torna vocacionados segundo o modelo deixado por Jesus, no qual todos são chamados a viver como irmãos (Mt 12,49), por isso a importância do trabalho em equipe e saber reconhecer as necessidades e as qualidades do outro. Ao dar início a mais um ano formativo onde todos nós nos interagimos, buscamos o conhecimento mútuo e os laços de fraternidade para tornar nossas comunidades mais próximas para vivermos em espírito de unidade nosso caminho de discernimento vocacional.

Pedro – Propedêutico

Dimensão intelectual

Referente a dimensão intelectual foi enfocado que os estudos desde o ano propedêutico, as graduações de filosofia e teologia, pós-graduação e outras especializações, visam formar pastores do Povo de Deus, a exemplo de Jesus Cristo. Os estudos filosóficos e teológicos são realizados no Instituto de Filosofia e Teologia Dom João Resende Costa- PUC-MG. No seminário maior de nossa diocese, que atualmente está situado em Belo Horizonte, são oferecidas aulas de monitoria de latim, grego, metafísica e lógica, que possibilitam um acompanhamento sistemático dos seminaristas que cursam essas disciplinas e sanam possíveis dúvidas que surjam no processo. Além dessa ajuda oferecida pela diocese, a faculdade oferta monitoria de outras disciplinas dentro dos cursos de filosofia e teologia. A dimensão intelectual coloca o seminarista em contato direto com as várias correntes de pensamento do campo filosófico e teológico que se desenvolveram ao longo da história. O mundo contemporâneo exige dos pastores da Igreja habilidade para dialogar com os vários pensamentos presentes na sociedade, por isso é necessária uma sólida formação intelectual dos candidatos a vida presbiteral, a fim de eles sejam capazes de dar respostas condizentes com a fé professada.

Adriano Mendes – 4º Ano de Teologia

Dimensão Humano-afetiva

Os seminaristas puderam, claramente, viver uma grande dimensão da formação presbiteral, o campo humano-afetivo. Tal maturação é uma exigência indispensável para o cumprimento, em exatidão, do ministério almejado. Como diz o documento Pastores Dabo Vobis de sua Santidade, na ocasião o Papa João Paulo II, no número 43, que sem uma oportuna formação humana, toda a formação presbiteral ficaria privada do seu fundamento. No decorrer dos trabalhos, cada formando, seja em momentos em que estávamos reunidos para formações, seja em momentos de lazer, pode criar vínculos e afetos com os vocacionados que estão iniciando o processo formativo no propedêutico, um momento de encontro e encorajamento. Na parte da tarde houve momentos de diversão onde tivemos a oportunidade de colaborar e trabalhar em equipe, elemento importante na construção do formando, uma vez que quando presbítero, haverá a possibilidade de exercer uma liderança sadia e sem autoritarismo. O relacionamento de uns com os outros foi muito bem vivido e apreciado. A alegria nos momentos de lazer foi expressão de uma vida fraterna bastante contagiante. Alegria esta, que nos impulsiona a seguir com nosso processo de formação, visando sempre nosso amadurecimento humano-afetivo.

Marlon Mendes – 1º Ano de Filosofia

Dimensão Espiritual.

No que se refere  a dimensão espiritual destaco alguns elementos que devem ser cultivados, conforme projeto de formação do seminário: realizar a celebração Eucarística cotidiana nas casas de formação, pois a celebração Eucarística nos proporciona um verdadeiro encontro com a Pessoa de Jesus Cristo; criar um clima de oração e intimidade com Deus; a oração do santo terço mariano comunitário ou individual; rezar e cantar a salmodia da Liturgia das Horas, bem como perseverar nos ensaios de novas melodias; realizar pequenos retiros ou momentos de oração no cotidiano da casa de formação e, exercitar semanalmente, a lectio divina do evangelho do domingo seguinte. Durante os dias vivenciados no momento de integração, fomos contemplados com a Santa Missa diária, rezamos comunitariamente a oração do Santo Terço por várias intenções, mas de modo especial pela santificação da Igreja, pela paz mundial e pelos benfeitores dos seminários. Em um encontro na parte da manhã rezamos em comunidade a oração da liturgia das horas, em seguida ensaiamos algumas melodias novas das salmodias, de modo a valorizar e enriquecer ainda mais o nosso momento de oração. Foram experiências muito intensas naquela semana. Por fim, o momento de integração proporcionou vários instantes de espiritualidade. Sabemos que para vivermos a vocação a dimensão espiritual deve suscitar nos seminaristas uma atitude de entrega generosa, de espirito de sacrifício e uma profunda vida de oração.

Luciano Timóteo – 1º Ano de Teologia

Dimensão Pastoral Missionária

As dimensões da formação presbiteral correspondem “às exigências essenciais de identidade e missão dos presbíteros, ainda mais importantes na atualidade, devendo ser definidas e integradas harmonicamente ao longo do processo formativo em um consistente projeto pessoal de vida” (cf. Doc. 93 CNBB, n. 246). Entre partilhas, estudos, celebração da Eucaristia, orações, esportes e lazer, todos tivemos a oportunidade de nos preparar para iniciar bem o semestre formativo e para a grande missão correspondendo ao chamado de que Jesus faz a cada um. Jesus chamou seus apóstolos acima de tudo para que “ficassem com ele” (Mc 3,14). Assim, na experiência da comunhão e convivência com os outros vocacionados “os discípulos missionários formam a família de Jesus e experimentam a sua intimidade” (Mt 12,49; At 2,42). Somente a efetiva e profunda experiência de comunidade poderá formar o presbítero segundo o modelo deixado por Jesus (PDV, n. 60). Esta missão é insubstituível para toda a Igreja devendo realizar-se com espírito de fé, de confiança plena no poder da graça e com uma alegria e entusiasmo quotidianos que sejam expressão sincera do grande amor a Jesus Cristo e a sua Igreja. A vocação presbiteral é um grande dom de Deus, ao qual se deve responder com muita generosidade e total entrega concretizando-se nas diversas atividades pastorais missionárias. “O sacerdote deve configurar-se com Jesus Cristo Bom Pastor, cabeça e guia da Igreja”.

Lucas Magno – 3º Ano de Teologia

Alguns momentos:

[SLGF id=2502]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.